sábado, 11 de setembro de 2010

A Solidão


Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência
de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às
vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe
compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... Isto é um princípio
da natureza. Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância. Solidão é muito mais do que isto. Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma....
Francisco Buarque de Holanda

3 comentários:

Asas que ultrapassam os domínios do Sol disse...

Olá amiga Leonor,
quando leio a voz que escoaste nessa postagem entendo muito do mal, latente e silencioso, que assombra a nossa sociedade: O EGOÍSMO! A solidão conforme essa minha reverberação, então é consequência do egoísmo, da vontade insana e desumana de ter para si, de tal modo que nos tornamos inférteis - sabe terra morta, mar morto! Nem praga dá, nenhum peixe pode morar, pessoa alguma consegue suportar. Entendo, então, como a incapacidade de trocar, de afetar, de interagir e construir em sociedade. Logo, logo estarão inventando um remédio é o amigo virtual - conhece algo parecido? Só que este não terá medo, nem dor, nem precisará de gente - nem um NARCÍSO poderá penetrar em seu caminho.
Hilda freitas, Belém

Leonor Lourenço disse...

Acho um belo texto
Beijinho Hilda e seja bem-vinda:)

Leonor Lourenço disse...

Fernando Pessa :) Ok, vou saltar até lá com prazer :)