quinta-feira, 11 de junho de 2009

PIANO - e as teclas da vida

O vídeo anterior que postei remeteu-me para um dos filmes mais marcantes que vi até hoje.
A perplexidade nalgumas cenas, a revolta, a troca do herói e do vilão, as excelentes representalções a sensibilidade na realização (não gosto de entrar por este campo, mas na verdade percebe-se neste filme que a realizadora é uma mulher- existe uma sensibilidade masculina e outra feminina e aqui está bem patente).
Quem não viu aproveite para dar aqui uma espreitadela... e depois é ir a um clube de vídeo próximo. Cá por mim, se trabalhar ao ritmo que programei, logo vou intervalar o trabalho com este filme fortíssimo, belo,único.

O Piano é um filme áustralo-franco-neozelandês de 1993, do gênero drama e escrito e dirigido pela neozelandesa Jane Campion.

O filme é considerado um dos expoentes do cinema da década de 1990.

O piano retrata a sofrida trajetória de Ada McGrath, uma mulher que não fala desde os seis anos de idade e se muda para a Nova Zelândia recém-colonizada. Em companhia da filha, ela conhece seu futuro marido, com o qual não se simpatiza. Para piorar a situação, o noivo, Alisdair Stewart, recusa-se a transportar o piano de Ada, que é sua maior paixão. Porém, o administrador George Baines, imediatamente interessado na mulher, adquire o instrumento e promete devolvê-lo caso ela lhe ensinasse a tocá-lo. Com o tempo, as tais aulas de piano vão se tornando encontros sexuais e os dois acabam descobrindo o verdadeiro amor.




2 comentários:

aurea disse...

Sim, claro que está!...Para mim este filme e "a Vida é Bela" São um encanto. Este foi um dos que também vi duas vezes. Sabes quando gosto muito de um filme, vejo sempre duas vezes, caso "algo" me tivesse passado, volto a ver.beijão

Leonor Lourenço disse...

Pois este vi imensas vezes e tenho descoberto sempre mais um pormenor interessante,esse é para além de outros, um dos motivos mas fascinantes neste filme.